O que podemos aprender com os Irmãos Elric?

Morrer pelos nossos sonhos

Ultimamente eu tenho andado a assistir Fullmetal Alchemist, o Brotherhood, e embora eu esteja a assistir um bocado tarde, sendo que Fullmetal Alchemist Clássico saiu em 2003 e o Brotherhood saiu há 10 anos, em 2009 e… wow eu estou velho. Eu não vim propriamente fazer uma análise ao anime, embora eu o pondere em fazer porque de facto é muito bom, eu hoje venho analisar o personagem principal, Edward Elric, e a sua relação de familiar com o seu irmão, Alphonse.

Ok, uma breve sinopse:

Fullmetal Alchemist é a história de 2 irmãos, Edward e Alphonse Elric que são filhos de um Alquimista que aparentemente os abandona durante a sua jornada pelo conhecimento da alquimia e mais tarde a sua mãe acaba por morrer. Dedicados em trazer a mãe de volta, eles decidem estudar alquimia, que neste mundo é encarado como uma ciência com bastante poder mas que, no entanto, não é omnipotente e que se baseia no princípio da alquimia que é conhecido como o princípio da troca equivalente. Quando os irmãos achavam ter a resposta para trazer a mãe de volta, ao tentarem, Edward acaba por perder o braço e o Alphonse acaba por perder o corpo inteiro. Edward, para não perder o irmão, abdica de parte da perna para selar a alma do irmão a uma armadura. A partir daqui eles partem numa jornada em busca da pedra filosofal para recuperar os seus corpos.

E, tirando o facto de a história ser incrível, o que se melhor aproveita deste anime são os dois irmãos e a sua relação.  A esta fase da vida eles não querem reviver a mãe, e spoiler alert mais tarde eles descobrem que alquimia não consegue recuperar corpos e almas que partiram, eles apenas procuram corrigir os seus erros e recuperar o céu que perderam. Eles vivem para concretizar esse sonho, no entanto eles vivem sobre os seus ideais e princípios.

A uma certa parte da história, alguém tenta matar especificamente Edward (Que por motivos de spoiler não vou mencionar quem é quais são as suas motivações) e este pede para Alphonse fugir para assim ao menos um dele ter hipótese de viver, mas Alphonse simplesmente não aceita isso, Alphonse não aceita que seu irmão desista e ele prefere abdicar da sua armadura do que deixar o irmão morrer, que seria a única esperança para trazer os seus corpos de volta e que, todo o trabalho, todo o esforço, todo o sangue, todo o suor que eles tinham gasto, seriam em vão se ele simplesmente desistisse. E esse é o ponto: se não for para viver pelos vossos sonhos, ideais, princípios, ideias e ainda que eles possam não ser realizados, se não forem morrer pelos vossos sonhos, não vale a pena se quer tentar, porque no final do dia, se não for para morrer pelos vossos sonhos, todo o esforço gasto nesses sonhos foi totalmente em vão. É dar razão a quem nunca tentou, porque essa pessoa não tentou fazer algo aparentemente impossível.

A verdade é que, como Fernando Pessoa, o ser humano é do tamanho do seu sonho, aquele que morre pelos seus sonhos é imortal, o seu espírito é superior ao seu corpo. As ideias são a prova de balas, elas perduram no tempo, mesmo que as pessoas venham e vão, estes valores ficam, Jesus morreu mas os seus ensinamentos ainda hoje são ensinados, princípios que perduraram por 2000 anos, independente das pessoas que foram e que vieram.

A procura pela verdade, ainda que ela objetivamente não exista na sua totalidade ou sendo complexa (ou talvez simples) demais para o ser humano, faz com que o Homem tenha algo para morrer.

A busca pela verdade consiste num conjunto de factos objectivos e insustentáveis para a quantidade de qualias do Ser Humano.

Praticar cultos religiosos e não acreditar em Deus é o mesmo que ter sonhos e não por tudo o que fazes para os realizares.

A verdade é que a aposta de Pascal não passa de uma formula matemática vazia, acreditar em Deus e se de facto Deus não existir quer dizer que todo o esforço dedicado à crença de Deus, todo o sacrifício foi em vão. O que eu quero dizer com isto? Muito simples:

Não faz sentido lutar por algo que não se acredite totalmente, se o vosso Sonho não é o suficiente para vcs morrerem por ele, mais vale não tentarem porque todo o esforço, sacrifício, suor, sangue gasto foi em vão.

O facto de tu dares tudo pela tua verdade, ainda que subjetiva e limitada às tuas qualias, tu deste tudo pelo aquilo que achavas o correto, tu tiveste um propósito de vida, todo o teu esforço teve um motivo válido, a justificação da tua existência.

Caso contrário, mais vale viver apenas no presente, procurar maximizar o bem-estar no curto prazo, renderem-se ao niilismo, porque os vossos ideais, princípios e motivações não valem o vosso esforço e nada mais vos vai trazer que frustração e perda de tempo.

A beleza, a poesia dos nossos sonhos é quando decidimos dar a nossa vida por eles, quando os irmãos decidem travar a sua jornada atrás de respostas, eles decidem fazer um ato muito simbólico, eles queimam a própria casa, porque, para eles, a partir dali não havia volta a dar, eles não queriam voltar atrás, eles não queria ter uma zona de conforto, eles tinham de aprender a seguir em frente porque, a vida segue para a frente e só assim se seguem os sonhos.

Curiosidade: A casa foi queimada no dia 8 de Outubro, curiosamente no mesmo dia da reunificação da Alemanha, eu deixo todo esse simbolismo para a vossa interpretação e quem sabe eu faça um vídeo sobre isso já que esse ponto refere um outro lado do anime que não foi abordado hoje.